Os pés, como estrutura anatómica de suporte e deslocação do ser humano, vêm sendo a sede de alterações de vária ordem motivados por factores que a vida moderna provoca:
- O calçado criado para os proteger, na maioria das vezes, é um meio de agressão.
- A actividade física e os desportos praticados sem adaptação pés/calçado/pavimentos são fonte de patologias novas que abrangem as unhas e restantes estruturas.
- O sedentarismo, os desequilíbrios alimentares, vêm provocando as chamadas ditas doenças do mundo desenvolvido – diabetes, hiperuricemia (Gota), hipercolesterolemia, que se repercutem por vezes dramaticamente nas extremidades inferiores exigindo tratamento especial e específico. Em concreto, 60% dos doentes com Gota, têm manifestações clínicas a nível do pé.
- O aumento da média etária desencadeia novas patologias e desafios.

perle bleue

- As patologias reumáticas e vasculares desencadeiam repercussões periféricas, exigindo resposta eficaz e eficiente na área de abordagem do pé.
- As alterações da marcha, os desequilíbrios do aparelho locomotor vão exigindo técnicas e técnicos específicos para um completo diagnóstico e correcção.
- As alterações dermatológicas, neurológicas de vária natureza exigem cuidados especiais.
Tais exigências, na actualidade, não se compadecem, nem se podem compadecer com empirismo ou abordagens superficiais de assuntos tão sérios e cuja repercussão na saúde pública, na vida das pessoas e no bem estar a que têm direito, é por demais evidente. Por isso, o pé passou a ser objecto de análise, investigação, diagnóstico e terapêuticas específicas das várias patologias que o afectam, o que motivou o aparecimento de uma área nova das ciências médicas, designada por PODOLOGIA. Instruída e praticada em quase todo o mundo, nomeadamente desde o princípio do século nos Estados Unidos da América, e na Europa a partir do anos 30, é natural que também em Portugal tal ciência desencadeasse o interesse merecido.
Desta forma, em Portugal, a CESPU, CRL (Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário), desenvolve e ensina estes conhecimentos através das Escolas Superiores de Saúde do Vale do Sousa (Dec. Lei N.º 303/97 de 04 de Novembro) e do Vale do Ave (Dec. Lei N.º 270/97 de 04 de Outubro), actualmente integradas no Instituto Politécnico de Saúde do Norte, com interesse público reconhecido pelo Dec. Lei N.º 404/99 de 14 de Outubro.
Os Decretos atrás referidos integram a PODOLOGIA no ensino superior. Tendo no seu processo curricular disciplinas e áreas específicas e técnicas, e havendo um protocolo entre a CESPU, CRL, entidade instituidora e a Universidade de Barcelona, foi solicitada a esta entidade a sua colaboração. Assim, a Universidade de Barcelona, inicialmente colaborou com o seu corpo docente composto por nove professores coordenados pela Senhora Professora Doutora Virginia Novel i Martí, Directora do Ensino da Podologia em Barcelona, Directora da Clínica Podológica da Universidade de Barcelona e Presidente da Associação Europeia de Podologia.
O curso, coordenado nas duas Escolas, pelo Senhor Dr. Domingos Dias Gomes, tem actualmente a duração de três anos para o grau de bacharel dividido em seis semestres, e quatro anos para o grau de licenciado. Os semestres do 1º ano apresentam uma significativa componente teórica de base médica a qual irá sendo substituída, progressivamente, por uma componente prática mais diferenciada para a área da Podologia, para esta componente prática contribui a existência de duas Clínicas Universitárias de Ensino Podológico, nas quais os futuros profissionais de Podologia adquirem formação teórico-prática, prestando serviços à comunidade. O último ano (licenciatura) incide numa formação mais abrangente, abordando áreas médicas e as suas aplicações no campo da Podologia.
O apoio científico e prático da Universidade atrás referida, a experiência e os benefícios obtidos pela Podologia em saúde publica nos países que a oficializaram, o pioneirismo e planos de estudo teóricos e práticos orientados nos objectivos e áreas fundamentais para os profissionais de Podologia e a alternativa profissional credível, prática útil e específica, justificam a atribuição do grau de Bacharelato, pelos Decretos Lei 1263/97 de 22 de Dezembro e 1170/97 de 14 de Novembro, e grau de Licenciatura pelas Portarias n.º 100/2001 de 16 de Fevereiro e 101/2001 de 16 de Fevereiro ao Curso de Podologia, com pareceres positivos dos Ministérios da Saúde e da Educação.
Aos profissionais que abraçaram este tipo de estudos, convencionou-se chamar-lhes PODOLOGISTAS0/PODIATRAS quando possuem o grau académico de Licenciado em Podologia, uma vez que é esta a designação usada em todos os países que possuem o grau de licenciatura em Podologia.
Todos estes profissionais têm como objectivo e funções, proporcionar ao seu semelhante cuidados de saúde de alta qualidade sob ponto de vista dos cuidados dos seus pés.
A PODOLOGIA como ciência, e o Podologista ou Podiatra como profissional especializado na investigação, prevenção, diagnóstico e tratamento das afecções e deformidades dos pés, têm como âmbito de intervenção a responsabilidade profissional de tratar as alterações das extremidades inferiores, nomeadamente o pé, utilizando os métodos científicos mais actuais e o equipamento mais sofisticado.
Actualmente os Podologistas/Podiatras, após conclusão do curso superior estão aptos para o exercício da sua profissão de forma autónoma e liberal, em conformidade com o plano de estudos aprovado pelo Ministério da Educação e com parecer positivo do Ministério da Saúde, leccionado pela entidade instituidora (Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário) do Instituto Politécnico da Saúde do Norte.
Os Podologistas/Podiatras podem prestar actividade docente, nas Escolas Superiores de Podologia, exercendo também a sua actividade de profissional de Podologia em clínicas privadas de forma autónoma ou em conjunto com outros profissionais de saúde.
Tendo em conta as solicitações cada vez maiores neste campo, outras áreas são abordadas em pormenor, como seja:
a) Podopediatria
b) Podogeriatria
c) Biomecânica Podológica
d) Biomecânica aplicada à Ortopodologia
e) Podologia Desportiva
f) Podologia Laboral
g) Outros.
Face a uma necessidade de agregação e integração de conhecimentos, foi criada a APP – Associação Portuguesa de Podologia que neste momento funciona plenamente através da sua Comissão Instaladora.
A Associação Portuguesa de Podologia (A.P.P.), apresenta uma proposta das competências do profissional de Podologia, competências estas que estão elaboradas segundo as diferentes áreas específicas da Podologia e que compõe o actual plano curricular em vigor nas Escolas Superiores de Saúde que ministram o curso de Podologia, e que está desde 1997, aprovado pelo Ministério da Educação, com parecer positivo do Ministério da Saúde.
Desta forma, de acordo com os seus conhecimentos científicos e com o protocolo de actuação clinica são apresentadas as competências que se tornam fundamentais para o profissional de Podologia possa desenvolver uma Podologia rigorosa, proporcionando à sociedade os cuidados de saúde podológica necessários e adequados na plenitude e de acordo com o seu campo de intervenção.
A Podologia como ciência da área da Saúde Humana actua na investigação, prevenção, diagnóstico e tratamento das patologias do membro inferior, nomeadamente do pé e das suas repercussões no Organismo Humano.
O paciente poderá recorrer à consulta de Podologia de forma directa e voluntária ou ainda derivado por outros profissionais de saúde quando estes o julguem necessário.
 

Seguinte